Coimbra Out Loud – Afonso Pinto

Dartacão, Avô Cantigas, Abelha Maia, hoje em dia é difícil imaginar mas tudo isso tocou na casa de Afonso Pinto. O padrasto ouvia discos de miúdas – disco sound, samba – nada que lhe apanhasse a atenção, mas em casa da tia, onde ia todas as tardes a seguir à escola, a música era outra. Tinha duas primas que me começaram a mostrar The Cure, Joy Division, Bauhaus. Eram os anos 80 e Piedade e Susana as góticas da cidade dos estudantes – or so they say. […]

Podem ler o texto completo na Revista Coolectiva.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *